gallery/camara arbitral-png

CÂMARA DE MEDIAÇÃO E ARBITRAGEM NACIONAL E INTERNACIONAL-CAMANI

CÂMARA DE MEDIAÇÃO E ARBITRAGEM NACIONAL E INTERNACIONAL-CAMANI

gallery/sub logo-png

O conflito é algo inerente à natureza humana. No entanto, como forma de solução para o anseio social de uma ordem comum que trouxesse segurança para os indivíduos e um convívio pacífico.

TÉCNICAS ALTERNATIVAS

AO SISTEMA JUDICIÁRIO

TÉCNICAS ALTERNATIVAS

AO SISTEMA JUDICIÁRIO

ÁREA INTERNACIONAL

ÁREA NACIONAL

ÁREA empresarial

gallery/direito-internacional
gallery/pexels-photo (3)

A arbitragem internacional é semelhante ao processo judicial nacional, mas em vez de ter lugar antes de um tribunal nacional que tem lugar antes juízes privados conhecidos como árbitros.

A arbitragem é a técnica mais utilizada de solução de litígios fora do âmbito da esfera judiciária. É uma instituição privada, instalada exclusivamente por vontade das partes.

Trata-se de situações ocorridas dentro da própria estrutura da Empresa, normalmente relacionadas a questões decorrentes das atividades internas da Empresa ou vinculadas a sua manutenção, ou seja, questões de organização, questões de recursos humanos.

gallery/gesto-condominial
gallery/direito-familia

Parceiros

área condominIal

área familiar/cível

A mediação Condominial, pode ser a solução para os conflitos existentes em condomínios, sejam de esfera pública ou privada.

Através de um trabalho técnico e ético, a Imediata Juris proporciona um trabalho de agilidade transparência e satisfação nas relações de conflitos na esfera condominial, sejam em relações entre condôminos, ou entre condôminos e a administração, ou qualquer relação contratual existente.

Temos por definição que a mediação de família se trata um processo auto compositivo segundo o qual as partes em disputa são auxiliadas por um terceiro neutro ao conflito, sem interesse na causa, que viabiliza uma comunicação clara e objetiva as partes envolvidas afim de que as mesmas possam sugerir métodos, meios que tragam segurança para resolução do conflito em questão de uma forma pacifica e consensual.

gallery/logo da oberon-2017
gallery/imaip
gallery/logo lpsc-2017
gallery/coaci

CEACI

gallery/logo dental tec labor
gallery/inea-cija
gallery/nova logo-tjamb-2-fundo_1141x1142

As vantagens da utilização da arbitragem  aplicada  em nossa câmara arbitral são numerosas:

 

Eficácia, Agilidade, Especialização, Sigilo, Prevalência da Autonomia das Partes,  Menor Custo,  Promoção de Ambiente  mais Colaborativo, Facilidade na Comunicação e Solução.

    O clima em que é desenvolvida na arbitragem  é menos formal e mais flexível do que na justiça comum, não há o trauma jurídico e o rigor processual presentes na justiça comum, normalmente as partes voltam a realizar  outras negociações. 

  A arbitragem ajuda no desafogamento do judiciário, consequentemente, proporcionará melhores condições  para que o judiciário  se dedique aos litígios  que envolvam  interesse público ou direitos indisponíveis.

    A arbitragem, há décadas utilizadas nos países desenvolvidos, é regulamentada no Brasil pela Lei 9.307/96, a chamada lei da arbitragem e sua atualizalçao pela Lei 13.129/15, e vem sendo reconhecida como o método mais eficiente de resolução de conflitos, contribuindo para o descongestionamento do Poder Judiciário.

   Na arbitragem impera a autonomia da vontade das partes envolvidas, manifestada na medida em que são elas que definem os procedimentos que disciplinarão esse processo, que estipulam o prazo final para sua condução, que indicam os árbitros que avaliarão e decidirão a controvérsia instaurada.

    Resumidamente, é como se fossem criadas regras particulares e de comum acordo entre os interessados. isso garante, além de uma boa solução para o caso, sigilo, economia, a certeza de que o julgamento do problema será realizado por pessoas com profundo conhecimento do assunto em questão e, além de tudo, rapidez, já que a arbitragem deve ser concluída no prazo máximo legal de 180 dias, se outro prazo não for acertado pelas próprias partes.     

 

gallery/bioetica-desjudicializacao-da-saude-mediacao-e-dialogos-interinstitucionais-690x430

área da saúde

A dificuldade de acesso e a demora da Justiça Estatal vêm incentivando, cada vez mais, a utilização dos meios alternativos de solução de litígios nas mais diversas áreas. Com a edição da Lei nº 9307/96, que regulamenta a aplicação da arbitragem, e a alteração da Lei de arbitragem de nº 13.129/15 ...

gallery/brasão novo do jamb-fundo
gallery/185775-entenda-por-que-optar-pela-arbitragem-na-construcao-civil

CONSTRUÇÃO CIVIL

MEDIAÇÃO Educacional

A mediação de conflitos na escola se apresenta como uma proposta de pacificação, oferecendo aos sujeitos envolvidos no conflito a possibilidade de solucioná-lo ou ameniza-lo por intermédio de ajuda especializada.

gallery/tpd
gallery/ajuste-governo-edita-mp-que-muda-pontos-da-reforma-trabalhista

TRABALHISTA

O uso da arbitragem na área trabalhista contribuirá para a redução do quantitativo de processos levados ao Poder Judiciário, do que resultará a prestação jurisdicional mais célere e eficiente.

 

Entende-se por conflito trabalhista toda e qualquer situação em que o empregador e o ex-empregado descordam de determinado direito, por exemplo, da quantidade de horas, da incidência ou não de determinada verba (periculosidade, insalubridade), eventual equiparação salarial ou de qualquer outro assunto relacionado ao contrato de trabalho em que não haja consenso.

MEDIAÇÃO COMUNITÁRIA

É nosso dever contribuir para  fazer que o direito e os remédios legais reflitam as necessidades, problemas e aspirações atuais da sociedade civil: entre essas necessidades estão seguramente as de desenvolver alternativas aos métodos e remédios, tradicionais, sempre que sejam demasiado caros, lentos e inacessíveis ao povo:

gallery/img-20180513-wa0001
gallery/cual-es-el-valor-de-una-comunidad
gallery/advogado

PRINCIPAIS VANTANGENS

gallery/005

A construção civil é fonte de muitos conflitos entre o consumidor final. e o engenheiro Construtor, ou entre a construtora e qualquer um de seus inúmeros sub-fornecedores.

              As divergências mais freqüentes referem-se à valorização de imóveis, atraso de cronogramas contratuais, obras não concluídas, danos a vizinhos, contas condominiais, obras com defeitos construtivos, estudos de valor de aluguel, estudo de valor de prestações, soluções de sinistros, diferenças entre as especificações projetadas e as observadas no produto finalizado, demandas sobre a garantia do equipamento, ausência de peças de reposição, incompatibilidade funcional de um elemento contido num sistema, entre outras demandas.

gallery/screenshot_4
gallery/img-20180817-wa0002[1]